quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Você ainda pode sonhar

Já diz o ditado popular que sonhar não custa nada. Por outro lado, sonhar pode render bons roteiros para o cinema. Dois bons exemplos de filmes que abordam esta temática são "Sonhando Alto" e "Sonhando Acordado".


No primeiro, dirigido por Michael Polish, Billy Bob Thornton vive Charlie Farmer, um astronauta frustrado que, após deixar a Nasa para cuidar da fazenda que pertencia ao pai, resolve investir tudo o que tem na construção de um foguete. Seu sonho é ir ao espaço. Com a ajuda da paciente Audie (Virgínia Madsen) e dos três filhos, Charlie gasta tudo o que tem - e o que não tem -, para realizar o seu sonho, até que o governo resolve intervir, afinal, como explicar à nação os bilhões de dólares gastos em pesquisas espaciais se um matuto é capaz de construir seu próprio foguete nos fundos de casa?

Após enfrentar um interrogatório dos homens do governo e responder que "se você não tem sonhos, você não tem nada", Charlie ganha a opinião pública, falha na primeira tentativa mas, no final, consegue ver que a Terra é azul e, seus sonhos, são mais que dourados.

No final, vale a pena esperar os créditos subirem ao som de Rocket Man, de Elton John, que batiza o foguete de Charlie - "Eu sou o homem do foguete, queimando seu fusível aqui em cima sozinho. E eu acho que vai ser um longo, longo tempo..."

A vida de seus sonhos

Em "Sonhando Acordado", dirigido por Jake Paltrow, Martin Freeman é Gary Shaller, um ex-astro do rock que agora garante o sustento criando trilhas para comerciais de TV. Sua vida anda meio complicada - o ex-parceiro de banda faz mais sucesso que ele no mundo dos negócios e o relacionamento com Dora (Gwyneth Paltrow) não passa de um protocolar 'te amo' antes de dormir. Até que um dia Gary encontra Anna, a mulher de seus sonhos. O problema é que, literalmente, ela existe apenas em seus sonhos, o que o faz querer dormir cada vez mais para poder encontrá-la, coisa que qualquer um faria, em se tratando de uma mulher como Penélope Cruz!

Para ter sucesso em sua empreitada, Gary conta com o auxílio de Mel (Danny DeVito), outro sonhador como ele, que entre seus muitos empregos, dá aulas de interpretação de sonhos. No final, sonho e realidade se misturam e mostram a Gary que, para realizar seus sonhos, nem é preciso dormir, basta soltar as amarras. (Angelo Davanço)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por interagir com o Via Ribeirão. Para o alto e avante!